Improvisaçao em offside

PedroGervason

Improvisaçao em offside

Mensagem por PedroGervason » Sex 01 Set 2006, 18:57

Gostaria de conhecer algumas idéias para aplicar offsides jazzisticos na hora de improvisar. Há metodos disponiveis de qualidade em portugues sobre o assunto???
Obrigado :roll: :wink:

roger_1978

Mensagem por roger_1978 » Ter 17 Out 2006, 10:42

O melhor guitarrista do genero para mim é o Michael Leme, ele mora em São Paulo dá aulas, escreve em revistas do genero e tem um video aula sobre o assunto.

Não sei se vc conhece do assunto improvisação, em caso negativo, te digo que minha impressão é que a improv offside é um tipo usado apenas no Jazz Fusion e mesmo assim eu acho que soa muito ruim.

Se vc estudar improvisação em um certo nivel vc poderá privilegiar o uso de escala não diatonicas como a hexafonia e a don-din e etc... esse material passa uma sonoridade muito interessante, bem dissonante mas ainda se mantendo dentro de um centro tonar, relacionando essa pratica com a musica erudita seria parecido com as melodias de Debussy.

É só um toque, quem deve dizer do que gosta é vc pois é vc que vai tocar.

Amauri Andrade Franco
Mensagens: 64
Registrado em: Sáb 21 Out 2006, 00:26

Improviso out side

Mensagem por Amauri Andrade Franco » Sáb 28 Out 2006, 03:07

Oi, Pedro
Li sua mensagem e sugiro que vc procure material do Mozart Mello. É fácil de entender e com exemplos incríveis. Vc pode encontrar no site da loja Free Note.
Um abraço e muitas escalas.

Alberto Ferreira
Mensagens: 19
Registrado em: Ter 20 Nov 2007, 15:26

Re: Improvisaçao em offside

Mensagem por Alberto Ferreira » Ter 20 Nov 2007, 18:43

As idéias ''Outside'' são em sua maioria de própria criação do instrumentista, quando bem estudada a ''Harmonia'' e com muita atanção verá ela é completamente mutável sem que se sai dela própriamente dita.Experimentem IIm7(b5) bVI6 bVI7M(b5),ao em véz de IIm7 V7 I7M

Picasso
Mensagens: 150
Registrado em: Sex 08 Jul 2005, 15:21

Re: Improvisaçao em offside

Mensagem por Picasso » Sáb 15 Dez 2007, 23:09

Olá Pedro Gervason.

Vc quer dizer Outside?

Existe um estudo de improvisação, chamado inside x outside.

Particularmente procuro de pensar em notas de aproximação, acho que a maioria dos jazzistas também.
Usar e abusar de tensões, por exemplo em um acorde IIm7, passar pela 7ª maior, e também passar pela 3ª maior, más sempre pensando em aproximação, alguns criarão um geito de estudar isto "nota alvo".

Agora Outside. Gosto de pensar em cadencias. Exemplo V_IIm7_V do I ; V_SubV do II_V do I, e outras, normalmente não me distâncio muito. acredito que o ideal é ter um dominio do que está se produzindo.

normalmente no V gosto de tocar escala Bebop Dominante 9 13.

Escrevendo por extenso a escala Bebop Dominante 9 13 numa forma descendente (ou sendo do agudo para o grave) ficaria assim.

:: Escala Bebop Dominante 9 13, exemplo G7 {G/ Gb/ F/ E/ D/ C/ B/ A} ; é super bacana, como a escala vai ter oito nota, tem uma melhor fluência melodica.


Espero ter ajudado.

R. de Paula
PedroGervason escreveu:Gostaria de conhecer algumas idéias para aplicar offsides jazzisticos na hora de improvisar. Há metodos disponiveis de qualidade em portugues sobre o assunto???
Obrigado :roll: :wink:
Editado pela última vez por Picasso em Sáb 15 Dez 2007, 23:49, em um total de 1 vez.

Picasso
Mensagens: 150
Registrado em: Sex 08 Jul 2005, 15:21

Re: Improvisaçao em offside

Mensagem por Picasso » Sáb 15 Dez 2007, 23:48

Picasso escreveu:Olá Pedro Gervason.

Vc quer dizer Outside?

Existe um estudo de improvisação, chamado inside e outside.

Particularmente procuro de pensar em notas de aproximação, acho que a maioria dos jazzistas também.
Usar e abusar de tensões, por exemplo em um acorde IIm7, passar pela 7ª maior, e também passar pela 3ª maior, más sempre pensando em aproximação, alguns criarão um geito de estudar isto "nota alvo".

Agora Outside. Gosto de pensar em cadencias. Exemplo V_IIm7_V do I ; V_SubV do II_V do I, e outras, normalmente não me distâncio muito. acredito que o ideal é ter um dominio do que está se produzindo.

normalmente no V gosto de tocar escala Bebop Dominante 9 13.

Escrevendo por extenso a escala Bebop Dominante 9 13 numa forma descendente (ou sendo do agudo para o grave) ficaria assim.

:: Escala Bebop Dominante 9 13, exemplo G7 {G/ Gb/ F/ E/ D/ C/ B/ A} ; é super bacana, como a escala vai ter oito nota, tem uma melhor fluência melodica.


Espero ter ajudado.

R. de Paula
PedroGervason escreveu:Gostaria de conhecer algumas idéias para aplicar offsides jazzisticos na hora de improvisar. Há metodos disponiveis de qualidade em portugues sobre o assunto???
Obrigado :roll: :wink:
No caso do Jazz, a improvisação básicamente consiste em escala/acorde. ou melhor, acada acorde tem uma escala "referêncial".

Vou detalhar os exemplos citados na outra postagem.

Sitação V do IIm7_V - do I

Dando um exemplo em C (do) ficaria da seguinte forma:
O V (quinto) do IIm7 seria A7, a escala para este acorde teria um monte, por exemplo mixob13, a mixo b9 b13... particularmente uso a Bebop Dominante b9 b13.
Na forma descendente a escala Bebop dominante b9 b13 ficaria com as seguintes notas (A- Ab- G- F- E- D- C# e Bb)

A escala para o IIm7 seria a Dórica, descrevendo a escala descendente, as notas seria ( D, C, B, A, G, F e E) a nota caracteristica desta escala é a sexta maior, neste caso a nota B (si).

No V a escala Bebop dominante 9 13 conforme citado anterior e no I a escala maior, ou Jônia.

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

No outro exemplo, o V_SubV do II_V do I (O V do II é o A7 o SubV do II é o Eb7)
o quinto de A (lá) é o E7. então neste caso, ainda no tom de C (do) a seqüencia ficaria {E7 - Eb7 - Dm7 - G7 e Cmaj7}

Eu costumo tocar no E7 a Bebop Dominante b9 e b13. E no Eb7 a Mixo#4 ou Mixo#11;

Agora, estas informações são todas INSIDE. Certo?
_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ __ _ _ _ _ _ _ _ _ __ _

Vamos detalhar a seguinde situação:

"imagine" uma progressão II _ V do I, A FAMOSA II V - I (DOIS, CINCO - UM)
Gosto de utilizar estes tipos de raciocínios raciocínar harmonicamente para tocar OUTSIDE.

Exemplo quando for improvisar no II, pensar em outro(s) acorde(s), que progressivamente vai resolver, ou acabar no II.

Vamos detalhar desta vez, as tensões que estarão sobre o IIm7, se pensar em tocar em cima dele o exemplo V _SubV do II.

Então a base estaria tocando o IIm7, tomando o tom de C como exemplo seria o acorde de Dm7. a base está tocando Dm7 e você estaria tocando, V_SubV do II, ou seja estaria pensando E7, Eb7 e terminaria em Dm7.

A escala Bebop Dominante b9 b13 de E7 (E- Eb- D- C- B- A- G#- F)

A escala Mixo#4 ou Mixo#11 de Eb7 (Eb - Db- C- Bb- A- G- F)

A escala Dorica de Dm7 ( D- C- B- A- G- F- E) as notas de passagens ficaria Eb, Db, Bb e G#) que são notas de aproximação. Mais a fluência melodia aumenta muito.

Por exemplo o Db vai lembrar da tensão da 7ª maior. no caso a nota C#. que é super interessante, harmonicamente o intervalo de sétima maior no acorde maior e no menor pode ser trocado pela 6ª maior e vice-versa.

já outro exemplo o G# vai lembrar da tensão do Pentablues... que é super bacana também.

Isto seria um exemplo que gosto de pensar para o assunto Outside - Inside, ou seja, "fora" da harmonia, "dentro" da harmonia.

tá enorme.

R. de Paula