Wolfgang Amadeus Mozart

rafaelt

Mensagem por rafaelt » Qui 05 Out 2006, 14:27

tem outro site sobre mozart(alem de varios outros compositores) que e http://www.classicos.hpg.ig.com.br-index2.htm

Marcelo Cavalcanti
Mensagens: 114
Registrado em: Sex 12 Mai 2006, 18:10
Localização: São Paulo, SP

Mensagem por Marcelo Cavalcanti » Sáb 07 Out 2006, 17:50

Muito interessante esses sites! Esse último que o Rafaelt colocou é repleto de informações e vale muito a pena ser visitado, pois tem ampla variedade de compositores, obras, estilos e temas a ser pesquisados. Portanto, para quem estava atrás de informações, mãos à obra!

Um abraço a todos.

Bill

Mensagem por Bill » Seg 09 Out 2006, 13:57

Eu estava procurando informações sobre Mozart e aqui encontrei tudo que precisava...
Obrigado a todos pelos links e informações =]

paulo roberto
Mensagens: 9
Registrado em: Sáb 30 Set 2006, 01:17

Mensagem por paulo roberto » Qua 11 Out 2006, 17:15

otimo site p pesquisa, valeu

roger_1978

Mensagem por roger_1978 » Seg 16 Out 2006, 16:50

Algumas informações que eu escrev num texto sobre Mozart.

principais obras

sinfonias
41, dentre elas, Sinfonia 36 Linz, e as três últimas, a Sinfonia no. 39, K.543, a célebre e feérica Sinfonia no. 40, K.550 e a Sinfonia no. 41, Júpiter, considerada a maior de todas.
serenatas
Música de entrenimento é um gênero recorrente na obra mozartiana. Isso se deve, principalmente ao seu período na corte de Salzburgo, quando lhe era constantemente solicitada a composição de serenatas e divertimentos, música leve para animar festas, bailes e comemorações.
A mais conhecida peça do gênero é a Serenata em Sol Maior, K. 525, mais conhecida como Eine Kleine Nachtmusik, cujas primeiras notas ficaram tão famosas que tornaram-se algo como a assinatura de Mozart para o ouvinte comum. Também são célebres a Serenata K. 239, Serenata Noturna, e a Serenata K. 250, Haffner. Entre os divertimentos, poderíamos destacar o K. 251, em Ré Maior.
música de câmara
Seis quartetos dedicados a Haydn, seu mestre e grande criador e consolidor da música de câmara clássica, compostos em 1785. O último deles, K. 465, em Dó Maior, conhecido como o Quarteto Dissonante, é o mais célebre, tanto pela "dissonância" inicial como pelo sublime movimento lento.
Mozart também tentou outras formações instrumentais e praticamente inventou uma: o quarteto com piano. Ele escreveu dois deles, e o primeiro, K. 478, é o mais importante. No campo dos quintetos, Mozart compôs dois exemplares famosos: o Quinteto de Cordas K. 515 e o Quinteto para Clarinete K. 581.
música instrumental
Mozart era um grande virtuose do piano, e não poderia esquecer seu instrumento predileto. Além da Sonata em Lá Menor, K. 331, a do famosíssimo Rondó alla Turca, destacam-se as sonatas K. 310 (também em Lá Menor), a K. 457, em Dó Menor e a K. 545, em Dó Maior. Para violino e piano, são importantes as sonatas K. 454 e 526.
Fora do gênero sonata, Mozart escreveu uma obra belíssima e altamente pessoal, a Fantasia para Piano em Dó Menor, K. 396.
música sacra
Mozart, que trabalhou um período da vida em um Estado papal, Salzburgo, tendo como patrão um Príncipe-Arcebispo, escreveu um bom número de peças destinadas à liturgia católica.
O Requiem, sua última obra, é a maior representante do gênero. Ele impressiona pela nobreza, pela beleza dos temas e pela densidade. É companheira digna da Paixão Segundo São Mateus, de Bach, e da Missa Solene, de Beethoven, pela grandiosidade e pelas profundas reflexões que provoca no ouvinte.
Mozart escreveu também duas importantes missas: a Grande Missa em Dó Menor (que ficou inacabada) e a Missa da Coroação. Ave Verum, obra coral de pequena proporção, porém de grande beleza, também se destaca entre a produção sacra mozartiana.
óperas
Mozart foi o maior operista de sua época e tinha grande senso dramático. As óperas mozartianas são divididas em dois grupos: as menores, geralmente as primeiras de sua carreira, e as grandes, as óperas imortais.
Dentre as primeiras, além das compostas quando muito jovem, estão Mitridate, Lucio Silla, O Rei Pastor, Idomeneu e La Clemenza di Tito. São obras que não negam a genialidade de Mozart, mas não são um tanto tradicionais. Curiosamente, estas óperas foram a que receberam melhor acolhida do público em suas estréias.
O grupo das óperas imortais é composto pelos tradicionalmente eleitos "cinco pontos máximos" da dramaturgia mozartiana. Em ordem cronológica: O Rapto do Serralho, As Bodas de Fígaro, Don Giovanni, Così fan Tutte e A Flauta Mágica. A última é considerada a maior delas, e uma das mais importantes óperas de todos os tempos. Ela, como O Rapto do Serralho, é um singspiel, gênero alemão que alterna música com diálogos falados.
concertos
O concerto, especialmente para piano, em Mozart, tem papel e importância semelhante ao da sinfonia, em Beethoven. Mozart compôs concertos para piano em toda sua vida (ao todo, são 27), e praticamente criou o gênero, definindo seus moldes para os compositores seguintes.
Ele começou no gênero com apenas nove aninhos, em um concerto baseado em três sonatas de Johann Christian Bach. Mas o primeiro concerto para piano realmente digno de nota é o de número 9, em Mi Bemol Maior, K. 271, composto em 1777 para a pianista Jeunehomme. A dedicatória valeu o apelido do concerto, e até hoje ele é conhecido como Jeunehomme.
Já em Viena, Mozart compôs o Concerto no. 17, K. 453, que seria seguido de uma série de 14 concertos escritos entre 1784 e 1786. Entre eles, os de número 20, dramático, o famosíssimo 21, o alegre e angelical 23 e o denso e quase sinfônico 24, em Dó Menor, talvez o maior de todos.
Para outros instrumentos, destacam-se os três primeiros concertos para violino (em especial o terceiro, K. 216), o quarto concerto para trompa, K. 495, o Concerto para Flauta e Harpa, K. 299, o Concerto para Flauta no. 1, K. 313, o Concerto para Fagote, K. 191, e o belíssimo Concerto para Clarinete, K. 622.
Mozart também escreveu exemplares de um gênero herdeiro do concerto grosso barroco: a sinfonia concertante, que equivale ao concerto para mais de um solista. A mais conhecida é a Sinfonia Concertante para Violino e Viola, K. 364, uma obra belíssima, profundamente pessoal e emocionante.

srv_ray
Mensagens: 43
Registrado em: Sex 22 Set 2006, 22:02

Mensagem por srv_ray » Ter 17 Out 2006, 16:04

mto bom parbens
onde achou?

estudioso7

Mensagem por estudioso7 » Dom 22 Out 2006, 23:23

noossa muito legal.site completo e bem feito. tp eu gostaria de saber onde encontro a musica de mozart "marchar turca" para violao ?

srv_ray
Mensagens: 43
Registrado em: Sex 22 Set 2006, 22:02

Mensagem por srv_ray » Seg 23 Out 2006, 04:39

partitura naum sei mais sei de um video e a execução dela no violao é animal
abç

Fabio Pastorius

Mensagem por Fabio Pastorius » Seg 27 Nov 2006, 01:49

Pra quem quer saber mais sobre Morzat talvez seja legal assistir o filme Amadeus, apezar de que o filme conta a história um pouco distorcida.

Froes

Mozart

Mensagem por Froes » Dom 10 Dez 2006, 18:24

Galera, também tem o filme Amadeus - que até oscar ganhou - e conta a história de Mozart. Filme MUITO BOM, nota 10, imperdível pra quem quer saber um pouco mais sobre esse gênio que morreu precocemente.

Breno

Mozart

Mensagem por Breno » Seg 19 Fev 2007, 19:22

Eu não acho que Mozart tenha sido um gênio; para mim não passou de um compositor comum. Bethoveen, Bach, esses sim foram gênios e elevaram a música a outros patamares.

JoaoNobre

Mensagem por JoaoNobre » Sáb 24 Fev 2007, 14:27

Exelente site muito bem.

Fabio Pastorius

...

Mensagem por Fabio Pastorius » Qui 15 Mar 2007, 03:26

muito bom!

MagoDaTorre
Mensagens: 20
Registrado em: Qua 07 Mar 2007, 20:45

Mensagem por MagoDaTorre » Qua 15 Ago 2007, 20:20

Não sei se o filme Amadeus é plenamente fiel à biografia do compositor, mas é belíssimo...

Amadan
Mensagens: 769
Registrado em: Qua 27 Jun 2007, 04:41
Localização: Lisboa - Portugal

Mensagem por Amadan » Qua 15 Ago 2007, 20:51

MagoDaTorre escreveu:Não sei se o filme Amadeus é plenamente fiel à biografia do compositor, mas é belíssimo...
Na época, este filme criou uma grande polémica com os herdeiros da família Salieri