Ajuda na carreira a seguir

petrucao cavouri
Mensagens: 3
Registrado em: Dom 26 Out 2008, 18:04
Localização: rs

Re: Ajuda na carreira a seguir

Mensagem por petrucao cavouri » Ter 28 Out 2008, 12:30

Caro Mozart não posso deixar de te dizer que com esse nome és obrigado à carregar o estandarte da música...Mas brincadeiras à parte quero te dizer também que se tens filhos e família torna-se complicado de exrcer este sonho que tu tens.Este fato não aniquila a possibilidade de realizar teus sonhos pois eu encontro-me nesta situação e jamais abandonei a música embora enfrente duras dificuldades para viver com essa arte que devia ter o valor que realmente necessita.No entanto se não tem ninguém sob tua responsabilidade siga em frente sem preocupar-se com o que outras pessoas te dizem pois teu campo profissional tu mesmo construirás...,sucesso nas tuas escolhas.

Mozart Dionísio Lisboa
Mensagens: 371
Registrado em: Sex 07 Set 2007, 17:32
Localização: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Re: Ajuda na carreira a seguir

Mensagem por Mozart Dionísio Lisboa » Ter 28 Out 2008, 21:12

diviajar escreveu:Mozart:

eu continuaria com o violão como você vem fazendo, e faria engenharia (se foi isso que você escolheu) por um ano, ou por um semestre, para ver se você está relaxado no curso, ou estressado todo tempo (problemas com as matérias). Se você vir que consegue seguir o curso de engenharia sem maiores angústias, aí você já começaria música.

Eu digo isso por medo de que, já do início, por falta de tempo, você faça mal os dois e pense que o problema é você (teu cérebro), sem perceber que o problema é só por falta de tempo, tudo acumulando e você só correndo atrás.

Você pode sempre começar os dois e parar um depois, mas isso poderia te traumatizar (oh, como eu sou dramática!! :grire: :oops: : mulheres!!!).

Veja bem, eu não pararia o violão, não. Continuaria sozinho, fazendo umas aulas particulares quando pudesse pagar. Você poderia até conversar com aquele professor do conservatório o qual citou, e pedir uma orientação sobre a maneira de estudar durante estes seis meses (ou um ano) de espera.

___________________________________
Isso tudo é só a nossa opinião, com o intuito de ajudar. Você é a pessoa que se conhece melhor, e é livre, e jovem. A vida está começando para você, e o futuro é TEU!!!!! :bye:
____________________________________________
Olá!
A parte do dramática foi engraçada! :lol:
Mas hem, meu pai disse-me para tentar conciliar as duas coisas também. O problema disso é que no ano que vem tenho que me preparar para o vestibular (meu último ano na escola), estudar no curso técnico (os professores nos apertam aqui!) e ainda estudar música! Eu nem sei se consigo fazer isto tudo ao mesmo tempo...
Agora mesmo, estava a olhar a prova de 1ª fase do Cefet e vi que esqueci muita coisa. Eu mesmo, que fiz essa prova do Cefet para poder entrar no curso técnico (estudo o curso técnico no Cefet do Rio de Janeiro, Unidade Maracanã) já vi não estou bem... Talvez seja muito tempo sem fazer concursos, perdi o pique e estou meio "enferrujado". Isto me mostra que tenho muito a estudar para me preparar, já que as provas das faculdades públicas são muito mais difíceis, com testes específicos e tudo mais.
O próximo ano será muito cheio!

Tchau!
renan escreveu:Normal na tua idade ter tantas dúvidas. Eu tenho 20 e ainda ñ sei o que fazer. De inicio queria muito fazer música, sentia-me feliz e, sinceramente, saberia que iria conseguir; entretanto a minha família me atrapalhou mt. Eu disse que queria ser professor de música, e aqui onde moro ganharia R$ 2300,00 por mês. Porém eles queriam que eu terminasse o meu curso de licenciatura em matemática para ganhar os mesmos R$ 2300,00 por mês. Esquesito, não?

O que digo é que tudo tem o seu preço. Tens que pensar no preço que tu vais ter que pagar ao optar por umas das áreas. Sempre terá os prós e os contras. Olhe para os contras e decida qual você estará determinado a passar. Eu, por exemplo, apesar de gostar de matemática, o "preço" exigido de mim, eu não estou disposto a pagar, tanto que irei tentar fazer Direito agora.

Ademais é possivel, pelo menos no início, tu conciliares as duas áreas. O problema que, como eu disse, tudo tem o seu "preço". Para se dedicar satisfatoriamente a ambos os cursos, terá que deixar de lado outras coisas. Dexar de sair se gostas, diminuir o tempo no computador, dentre outras coisas. Falo isso por experiência própria.

PS: Não faça o que eu fiz. Devido a uns problemas familiares eu fiquei quase 1 ano se estudar. Agora estou voltanto, mas com mts dificuldades.

Lembre-se, pegue no violão todos os dias. Se só for possivel 30 min ou 1 hora, pegue, exercite, pelo menos a parte técnica, mas estude. Um violonista mt famoso de 81 anos daqui da minha cidade, estuda todos os dias. Sinto-me envergonhado por ter 20 e não fazer isso hj em dia.

OBS: Se tens talento, mesmo que vá para engenharia, continue estudando. Esse mesmo violonista que falei acima, conciliou duas áreas distintas tb. Uma professora de teoria que me deu aula, fez isso tb e depois optou pela música. Pretendo fazer o mesmo, assim temos um espécie de "seguro". Qualquer coisa, só perguntar.
Olá!
Entendo, mas tenho medo de perder o pique, o ânimo. Ainda agora eu terminei uma planta aqui do curso técnico (aqui a gente tem que aprender e fazer alguns projectos) e fiquei mais animado com a carreira de engenharia ou arquitectura (mais com a de arquitectura, porque o projecto era a representação das partes externas duma construção, representação das fachadas). Mas tem horas que eu fico meio encurralado. Começo a pensar que isso não vai dar certo, que nãovou conseguir nem um nem outro, mas quem não passa por uns momentos de desânimo? Ninguém, eu acho. O negócio é sair a batalha, porque "as coisas não caem do céu".

Tchau!
Mac escreveu:OI Mozart
Conheço o Juarez há muito tempo. Já não me recordo mais exatamente como o conheci, mas com certeza foi através do Conservatório Brasileiro de Música do RJ. Acho que foi por volta de 1985. Fui aluno dele por algum tempo, mas não foi no Conservatório e sim em outros cursos que ele dava. Grande professor. Utiliza o método do Tárrega ("Escuela Razonada"), mas a dota tambem trabalhos de outros autores. Abraços
Legal! O ruim é que eu nem consegui falar mais com ele.
Valeu, Mac!

Tchau!
alexandreas escreveu:Mozart,
Decisões não são faceis, e escolhas são dolorosa, mas o tempo nos chama a trilhar caminhos, então tome a tua direção e se necessário altere o caminho um pouco e um pouco mais a frente...

[]'s
Alexandre
Olá!
Profundas frases... Essas decisões não são mesmo fáceis! São coisas que tu não sabes se mudará o teu futuro para melhor ou pior.

Tchau!
petrucao cavouri escreveu:Caro Mozart não posso deixar de te dizer que com esse nome és obrigado à carregar o estandarte da música...Mas brincadeiras à parte quero te dizer também que se tens filhos e família torna-se complicado de exrcer este sonho que tu tens.Este fato não aniquila a possibilidade de realizar teus sonhos pois eu encontro-me nesta situação e jamais abandonei a música embora enfrente duras dificuldades para viver com essa arte que devia ter o valor que realmente necessita.No entanto se não tem ninguém sob tua responsabilidade siga em frente sem preocupar-se com o que outras pessoas te dizem pois teu campo profissional tu mesmo construirás...,sucesso nas tuas escolhas.
Olá!
Nem me lembre o nome que já sinto um pesar na consciência... Sério!
Então, felizmente não tenho filhos nem família para sustentar, porque tenho só 16 anos (faço 17 no dia 6 de dezembro!! :D ), e nem quero ter tão cedo... Se te encontras nesta situação, espero que o tópico te tenha ajudado, por que devo agradecer a cordialidade e paciência do pessoal, que tem sido legal comigo!
O problema é se as outras pessoas estiverem certas. Ao falar isto a uma amiga minha do curso técnico ela contou-me duma colega da professora de língua portuguesa dela. Essa colega da professora tinha o sonho de ser pianista e, na época, criticavam-lhe severamente dizendo que não teria como se sustentar. Ela ignorou estas pessoas e hoje é maestrina na França, provavelmente, com muito mais dinheiro do que aquelas pessoas que lhe criticavam... :lol:

Valeu! Tchau!






Obrigado a todos vocês pela cordialidade, paciência e ajuda! Valeu mesmo!
:merci:

:bye:

Léo Beschizza

Re: Ajuda na carreira a seguir

Mensagem por Léo Beschizza » Qua 29 Out 2008, 01:26

Olá Mozart
Desculpe-me por não ter acessado antes esse tópico, pois não tenho tido muito tempo e entro no Fórum rapidinho respondendo aos que me retornam, e isso tudo por causa da Engenharia. A fase está boa e temos que trabalhar muito.
Antes de tudo devo lhe dizer que essa profissão nos absorve demais, passo semanas trabalhando de dia e de noite nos projetos, e não me sobra tempo para o violão que está lá na sua caixa guardado e esperando uma oportunidade de ser tocado. Mas é apenas uma fase, que não permanece o ano todo. Logo conseguirei colocar os projetos em dia, e aí terei mais tempo para me dedicar à música.
Quanto ao conselho já conversamos anteriormente sobre as vantagens da engenharia, e devo lhe dizer que tudo que consegui até hoje foi através do meu trabalho na Engenharia, e com certeza não conseguiria se tivesse excluido a engenharia de minha vida, e tivesse seguido o meu desejo na época do vestibular que era viver da música.
Mas não posso esconder também um pouco a minha frustração de não ter evoluído mais como violonista, apesar de tocar razoavelmente bem, muitos me dizem que talento não me falta, e alguns chegam a me elogiar como instrumentista autodidata, o que sem dúvida me agrada muito, mas e se eu estivesse estudado um pouco mais, quem sabe até onde eu iria ? E o que eu faria com essa conquista ? Tudo é muito relativo.
Mas nunca foi meu sonho ser um concertista ou um artista de palco, o que eu gosto mesmo é de tocar de uma forma intimista, para poucas pessoas ou apenas para mim mesmo.
Mas aconselho a você seguir uma profissão mais sólida, mesmo que não seja engenharia ou arquitetura, que seja outra de sua preferência, porem nunca deixe de estudar o violão, se não der para conciliar as duas coisas, pelo menos continue tocando, que mesmo sozinho você aprenderá muito.
Vou ficando por aqui, ainda vou trabalhar pela madrugada adentro para atender aos prazos de meus clientes. Não é fácil não. Mas é minha obrigação em primeiro lugar, e se sobrar um tempinho, aí terei o prazer do violão.
Um abraço a todos.

robertoprata
Mensagens: 5
Registrado em: Qua 22 Out 2008, 22:37

Re: Ajuda na carreira a seguir

Mensagem por robertoprata » Qua 29 Out 2008, 10:55

Aqui vai o meu depoimento que é de alguem que passou pela mesmissima situação.

Tenho 27 anos e comecei a tocar violão com aproximadamente 13 anos.
Com 17 anos eu ia prestar vestibular pra música mas sempre com um pé atrás. Meus pais falavam a mesma coisa dos seus, que música não da futuro e que eu ia morrer de fome se eu fizesse isso, que eu devia tocar por hobby e bla bla bla....
Pois bem continuei meus estudos com música e na hora de marcar o X no quadradinho do curso a se escolher... tcham tcham tcham tchaaammm... eu fiz Ciência da computação.... :desole:

Eu fiquei um tanto quanto frustrado ao entrar na faculdade de computação e simplesmente abandonei a música... Meu maior erro... desde entao praticamente nunca mais toquei.... Oooooooooooo arrependimento.... tanto talento jogado fora.... hehehehe

Entrei na faculdade e o curso que teria duração de 4 anos, durou 6 anos e meio pra mim, não devido à alguma falha intelectual :) pois passei entre os primeiros no vestibular mas devido à minha ma vontade e falta de interesse pelo curso. Esses 6 anos e meio foram longos, e todo ano eu chorava puto da vida no meu quarto e jurava que ia largar a faculdade de computação e fazer música... o que nao aconteceu... :( .

Hoje sou um profissional completamente frustrado e muitas vezes ( quase sempre ) me pego pensando "merda, devia ter feito música...".
Porém apesar de não ser lá um grande fã de computação sou bem sucedido, ganho um salario satisfatorio etc....

As vezes penso que reclamo de barriga cheia, se eu tivesse feito música e não tivesse dinheiro para levar uma vida razoável eu poderia me queixar, "merda, bem que papai falou... devia ter feito computação... " :strizzalocchio:

Agora que estou ficando mais confortável financeiramente e já to cansado de ficar na frente do computador decidi voltar com meus estudos e provavelmente vou enfrentar o vestibular pra música ano que vem e fazer em paralelo com a minha profissão. Se der tudo certo e revelar-se um Raphael Rabello dentro de mim eu largo tudo e fico só com a música.... hehehehehehe... Senão eu vou tentando conciliar os dois na medida do possível...

Resumindo, eu entendo perfeitamente sua situação, pois já passei por isso, mas nao sei muito bem lhe aconselhar... :desole:
Só quis deixar um pouquinho da minha história por que as vezes isso pode te dar uma idéia de alguma coisa... sei lá.... hehe

Grande abraço e sorte na sua escolha.

Mozart Dionísio Lisboa
Mensagens: 371
Registrado em: Sex 07 Set 2007, 17:32
Localização: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Re: Ajuda na carreira a seguir

Mensagem por Mozart Dionísio Lisboa » Sex 07 Nov 2008, 17:35

Léo Beschizza escreveu:Olá Mozart
Desculpe-me por não ter acessado antes esse tópico, pois não tenho tido muito tempo e entro no Fórum rapidinho respondendo aos que me retornam, e isso tudo por causa da Engenharia. A fase está boa e temos que trabalhar muito.
Antes de tudo devo lhe dizer que essa profissão nos absorve demais, passo semanas trabalhando de dia e de noite nos projetos, e não me sobra tempo para o violão que está lá na sua caixa guardado e esperando uma oportunidade de ser tocado. Mas é apenas uma fase, que não permanece o ano todo. Logo conseguirei colocar os projetos em dia, e aí terei mais tempo para me dedicar à música.
Quanto ao conselho já conversamos anteriormente sobre as vantagens da engenharia, e devo lhe dizer que tudo que consegui até hoje foi através do meu trabalho na Engenharia, e com certeza não conseguiria se tivesse excluido a engenharia de minha vida, e tivesse seguido o meu desejo na época do vestibular que era viver da música.
Mas não posso esconder também um pouco a minha frustração de não ter evoluído mais como violonista, apesar de tocar razoavelmente bem, muitos me dizem que talento não me falta, e alguns chegam a me elogiar como instrumentista autodidata, o que sem dúvida me agrada muito, mas e se eu estivesse estudado um pouco mais, quem sabe até onde eu iria ? E o que eu faria com essa conquista ? Tudo é muito relativo.
Mas nunca foi meu sonho ser um concertista ou um artista de palco, o que eu gosto mesmo é de tocar de uma forma intimista, para poucas pessoas ou apenas para mim mesmo.
Mas aconselho a você seguir uma profissão mais sólida, mesmo que não seja engenharia ou arquitetura, que seja outra de sua preferência, porem nunca deixe de estudar o violão, se não der para conciliar as duas coisas, pelo menos continue tocando, que mesmo sozinho você aprenderá muito.
Vou ficando por aqui, ainda vou trabalhar pela madrugada adentro para atender aos prazos de meus clientes. Não é fácil não. Mas é minha obrigação em primeiro lugar, e se sobrar um tempinho, aí terei o prazer do violão.
Um abraço a todos.
Valeu, Léo!
Aí é que está. Será que consigo conciliar as duas? Você me está dizendo que está tendo que trabalhar dia e noite, sem tempo direito... Ahh... Minha vontade era, depois de empregado, estudar música num conservatório. É claro que não vou ter todo o tempo do mundo, mas ao menos tenho que ter algum tempo.
E se eu fico igual você, sem tempo, como faço? Mesmo assim, ainda estou mais dispoisto a estudar engenharia ou arquitetura por causa do salário, etc... Não quero ter uma vida ruim, afinal, eu não quero "ralar" tanto assim pra não conseguir nada. Mesmo assim, sempre que puder estar a estudar alguma coisa de música, vou estudar; e nem sei o que pode sair disso...
Valeu! Tchau!

robertoprata escreveu:Aqui vai o meu depoimento que é de alguem que passou pela mesmissima situação.

Tenho 27 anos e comecei a tocar violão com aproximadamente 13 anos.
Com 17 anos eu ia prestar vestibular pra música mas sempre com um pé atrás. Meus pais falavam a mesma coisa dos seus, que música não da futuro e que eu ia morrer de fome se eu fizesse isso, que eu devia tocar por hobby e bla bla bla....
Pois bem continuei meus estudos com música e na hora de marcar o X no quadradinho do curso a se escolher... tcham tcham tcham tchaaammm... eu fiz Ciência da computação.... :desole:

Eu fiquei um tanto quanto frustrado ao entrar na faculdade de computação e simplesmente abandonei a música... Meu maior erro... desde entao praticamente nunca mais toquei.... Oooooooooooo arrependimento.... tanto talento jogado fora.... hehehehe

Entrei na faculdade e o curso que teria duração de 4 anos, durou 6 anos e meio pra mim, não devido à alguma falha intelectual :) pois passei entre os primeiros no vestibular mas devido à minha ma vontade e falta de interesse pelo curso. Esses 6 anos e meio foram longos, e todo ano eu chorava puto da vida no meu quarto e jurava que ia largar a faculdade de computação e fazer música... o que nao aconteceu... :( .

Hoje sou um profissional completamente frustrado e muitas vezes ( quase sempre ) me pego pensando "merda, devia ter feito música...".
Porém apesar de não ser lá um grande fã de computação sou bem sucedido, ganho um salario satisfatorio etc....

As vezes penso que reclamo de barriga cheia, se eu tivesse feito música e não tivesse dinheiro para levar uma vida razoável eu poderia me queixar, "merda, bem que papai falou... devia ter feito computação... " :strizzalocchio:

Agora que estou ficando mais confortável financeiramente e já to cansado de ficar na frente do computador decidi voltar com meus estudos e provavelmente vou enfrentar o vestibular pra música ano que vem e fazer em paralelo com a minha profissão. Se der tudo certo e revelar-se um Raphael Rabello dentro de mim eu largo tudo e fico só com a música.... hehehehehehe... Senão eu vou tentando conciliar os dois na medida do possível...

Resumindo, eu entendo perfeitamente sua situação, pois já passei por isso, mas nao sei muito bem lhe aconselhar... :desole:
Só quis deixar um pouquinho da minha história por que as vezes isso pode te dar uma idéia de alguma coisa... sei lá.... hehe

Grande abraço e sorte na sua escolha.
Olá, Roberto!
Pois bem, sua mensagem ajuda de qualquer maneira. Fique à vontade!
Mas, hem, tenho medo de ficar igual você, no que diz aspecto ser um profissional frustrado... :oops: Já me vejo na faculdade a reclamar. Às vezes fico a pensar mesmo que nem deveria ter entrado no curso técnico, que deveria em vez disso ir a um conservatório. Quando fico imaginando o vestibular, vou estar estudando tanto, preparando-me tanto para estudar o que acho que não quero... Tem até vezes que acho legal; penso "engenharia é maneiro mesmo, arquitetura também; acho que vou ser um bom técnico em edificações". Mas às vezes penso "o que estou fazendo nesse curso técnico? Era para estar estudando música, nem era para ter entrado nessa"; daí me imagino na obra e penso "que desastre vai ser isso! O prédio vai até cair!". Mas também não quero largar o curso técnico porque gosto muito da escola onde faço (que é o Cefet-RJ), os professores e os colegas de turma são legais e acho legal o curso em si. Ahh, sei lá.
Mas, mesmo assim valeu!




Obrigado a todos!
:merci: :bye: